terça-feira, 28 de março de 2017

Música “Gente Tem Sobrenome", de Toquinho e Elias Andreato para discutir sobre o Tema Gerador "Identidade".


Todas as coisas têm nome,
Casa, janela e jardim.
Coisas não têm sobrenome,
Mas a gente sim.
Todas as flores têm nome:
Rosa, camélia e jasmim.
Flores não têm sobrenome,
Mas a gente sim.

O Jô é Soares, Caetano é Veloso,
O Ary foi Barroso também.
Entre os que são Jorge
Tem um Jorge Amado
E um outro que é o Jorge Ben.
Quem tem apelido,
Dedé, Zacharias, Mussum e a Fafá de Belém.
Tem sempre um nome e depois do nome
Tem sobrenome também.

Todo brinquedo tem nome:
Bola, boneca e patins.
Brinquedos não têm sobrenome,
Mas a gente sim.
Coisas gostosas têm nome:
Bolo, mingau e pudim.
Doces não têm sobrenome,
Mas a gente sim.

Renato é Aragão, o que faz confusão,
Carlitos é o Charles Chaplin.
E tem o Vinícius, que era de Moraes,
E o Tom Brasileiro é Jobim.
Quem tem apelido, Zico, Maguila, Xuxa,
Pelé e He-man.
Tem sempre um nome e depois do nome
Tem sobrenome também.

O uso dos jogos teatrais em sala de aula, com base em Viola Spolin.








Entrevista com a aluna Meury, da 2ª etapa do Ensino Médio, durante as oficinas de Teatro no SERB.

 
 
A nossa ex-aluna Meury revelou em sua entrevista, realizada no início do ano letivo de 2016, um pouco da sua trajetória pessoal e estudantil. Ela deixou de estudar por muito tempo porque casou cedo, teve três filhos, viveu sob intensa restrição financeira, mas sempre muita vontade de continuar seus estudos, até que resolveu estudar pelo Sistema Educativo Radiofônico de Bragança (SERB).  A partir dessa decisão, a vida dessa aluna mudou significativamente, pois ela concluiu o Ensino Médio e por meio do ENEM conseguiu uma vaga no curso de Agroecologia do IFPA (Instituto Federal do Pará). Um sonho realizado depois de tantas dificuldades e limitações. Agora ela está continuando seus estudos e superando suas dificuldades, pois a Universidade está situada em Bragança-PA e essa aluna reside em uma comunidade da Zona Rural.Contudo, ela demonstra força de vontade e a certeza e que vai trilhar esse caminho com o melhor que puder fazer. Foi uma conversa muito proveitosa, pois enquanto educadora fico feliz em ter colaborado para esse sonho por meio das aulas via-rádio e das oficinas de redação que foram desenvolvidas, além das oficinas de Teatro. Que mais sonhos sejam realizados por todos os alunos do SERB! 

quinta-feira, 23 de março de 2017

Momento de leitura com compreensão, produção textual e orientação individual para o aprimoramento das habilidades de ler e escrever.












Jogo teatral de Augusto Boal realizado em um dos encontros com o grupo de teatro e performance do SERB.


JOGO TEATRAL

Autor: Augusto Boal
Obra: Jogos para atores e não atores
Aquecimento: Sem deixar nenhum espaço vazio na sala p. 171

 
Sem deixar nenhum espaço vazio na sala, todos os atores deverão caminhar com rapidez (sem correr), de maneira que seus corpos estejam sempre mais ou menos equidistantes de todos os outros e espalhados pela sala.
a) De tempos em tempos, o diretor dirá “Para!” e todos deverão parar, procurando fazer com que não haja nenhum espaço desocupado na superfície da sala.
Não se pode parar antes do “Para!”. Se alguém vê um espaço vazio, vai completá-lo
com seu corpo; no entanto, como e proibido parar, deve continuar andando,
buscando outro espaço vazio e esvaziando aquele onde esta.
b) Em vez de dizer somente “Para!”, o diretor dirá também um numero, e então todos deverão formar grupos segundo o numero anunciado: 3, 5, 8 pessoas etc. Cada grupo deve estar eqüidistante dos outros grupos, a fim de não permitir que haja espaços vazios na sala.
c) O diretor menciona um numero e uma figura geométrica, e os atores deverão se organizar em grupos formando a figura geométrica indicada: quatro círculos, três losangos, cinco triângulos etc.
d) O diretor menciona um numero e uma parte do corpo. Se disser, por exemplo, três narizes e sete pés, então três narizes e sete pés deverão se tocar. Todo o espaço da sala devera estar ocupado por grupos que estejam equidistantes, como nos exercícios anteriores.
e) O diretor menciona uma cor e uma peca de vestiário; por exemplo, juntem-se pela cor da camisa, ou dos cabelos, ou dos olhos... e os atores assim o farão... assegurando-se de que os grupos estejam igualmente distribuídos por toda a sala.
f) Os atores correm lentamente (no correr, em alguns momentos os dois pés ficam no ar; no andar, um dos pés esta sempre no solo). De tempos em tempos, o diretor dirá “Colar!” e imediatamente os atores se juntarão (colados) em grupos de três, cinco ou mais integrantes, sem parar de correr. Em seguida o diretor dirá “Separar” e todos se separarão. O diretor dirá “Para!” e todos pararão onde estão, com um só pé tocando o solo. O outro pé e as duas mãos tentarão tocar três companheiros diferentes: o resultado será uma teia de aranha.